*PO* Multi-linguagens – Parte I

setembro 17, 2009

Isso mesmo! Todos os dias nos deparamos com grandes empresas que dispõem de uma gama gigantesca de linguagens de desenvolvimento unidas, a Factory Tech não é nada diferente!

Hoje a “Factory” está enfrentando um grande dilema, “devemos fechar um limite de linguagens”, ao fazer isso, inúmeros questionamentos são levantados instantaneamente, entre eles como, “O que deveremos descontinuar”, “Custo”… Vamos adiante.

Seguir o mercado pode ser uma boa pedida nesse momento. Mas qual mercado? Nossa empresa é diferente de todas (temos um ERP, temos sistemas de engenharia, temos batch, o lendário cobol e a HPUX).

Não importa! Sistemas não mudam processos indiferente do que é usado para desenvolve-lo, eles apenas automatizam os processos. FATO

Então qual será nosso foco? Alguns temas na mesa! Plataforma, portabilidade, escalabilidade, manutenabilidade, qualidade e o mais importante para o PO, o famoso CUSTO.

Complicado? Sim, impossível? Nunca.

Passos iniciais:

*Prioridade;

*Complexidade;

*Sistemas 24/7;

*Mao de obra;

*Plataforma;

*Custo (Mão de obra);

Esses filtros iniciais servem para filtrarmos as escolhas futuras, sou um fã da plataforma Microsoft conheço inúmeros casos de sucesso de migração de sistemas. Trabalho atualmente com a metodologia Ágil ( nada melhor para casos assim), mas nunca iremos esquecer no mundo open source! Porem, ao abrir as portas cairemos num loop infinito novamente, perderemos o foco ao portar o nosso pátio de sistemas.

No próximo post continuarei sobre os passos iniciais.

Até breve


First Post Presentation

setembro 17, 2009

Primeiramente gostaria de me apresentar, prazer sou Flávio Dantas, vulgo, “Dantas”, tenho 22 anos e uma boa experiência no mercado (como o Ricardo Serradas transcreveu) para saber o que é bom ou ruim e ter uma mente bem aberta.

Após muitos anos de foco em puro desenvolvimento, resolvi me aperfeiçoar para poder prestar um serviço de maior qualidade.

Bom vamos ao que interessa.

Meus posts serão focados não apenas na tecnologia , mas sim em problemas que passamos no cotidiano usarei como PO uma empresa hipoteticamente chamada de “Factory Tech”. Focando em gestão de risco,  implementação de plataforma Microsoft e o fabuloso VSTS

Sem mais pessoal será um prazer compartilhar meus conhecimentos com todos.

Grande abraço.


Erro TF30224 ao criar novo projeto no TFS 2010

setembro 13, 2009

Seguindo minha saga de estudos no VSTS 2010, encontrei mais um problema: o erro TF30224 ao tentar criar um novo projeto no TFS.

A mensagem de erro, depois que descobrimos a solução, é bem clara: “verifique se o servidor SQL está no ar ou se você tem permissão para acessá-lo“. Não é bem o servidor SQL, e sim o servidor de relatórios, o Report Server.

Ao acessar http://%5BTFSSERVER%5D/Reports com o TFSSETUP (usuário que usei para instalar todo o TFS) vi que não conseguia enchergar nada. Como resolver isso? Acessando a mesma URL porém autenticando-se como o Administrador local do servidor.

Pronto! Só atribuir permissão de Content Manager para o TFSSETUP (ou o usuário que está usando para criar o projeto, o seu “TFS Admin”) assim:

– Acesse http://%5BTFSSERVER%5D/Reports como orientado acima;

– Clique na aba “Propriedades”;

– Clique em “Atribuição de nova função”;

– Em “Nome do grupo ou usuário”, digite o usuário que necessita da permissão (no meu caso, [TFSSERVER]\TFSSETUP);

– Em “Função”, selecione “Content Manager” e em seguida clique em OK.

E pronto! Você conseguirá prosseguir com a criação do Team Project.

[]’s


Erro TF255147 ao configurar o TFS 2010

setembro 13, 2009

Olá pessoal,

Hoje instalando o TFS 2010 num ambiente single server me deparei com dois problemas que não estão previstos no TFSInstall.chm, que vem no DVD de instalação do TFS.

O primeiro erro foi que não há web.config em “C:\Program Files\Microsoft Team Foundation Server 10.0\Application Tier\Web Services”.

Solução: É preciso criar uma cópia do web.config.template já existente lá.

Segundo erro: Visualizado no wizard de configuração padrão do TFS. Veja:

Error [ Configuration Database ] TF255147: The following server that is running SQL Server is not listening on the expected TCP port: TFS01.

Erro de configuração de banco de dados no wizard de configuração padrão.

As portas necessárias já estavam liberadas, a instancia do SQL já estava rodando… O que fazer? Foi então quando me lembrei de dar uma olhada nas configurações do SQL 2008 (em Start > All Programs > Microsoft SQL Server 2008 > Configuration Tools > SQL Server Configuration Manager)  e lá vi que o protocolo TCP/IP não estava habilitado (e não vem habilitado por padrão numa instalação do SQL).

SQL Configuration Manager

O que fiz então foi habilitar o protocolo, com um duplo clique em TCP/IP e na aba Protocol, mudar a propriedade Enabled para Yes.

Feito isso, voilá! O teste de configurações rodou 100%! Mas, há um porém… Se a instalação do TFS for interrompida por algum motivo (no nosso caso, pelo SQL não estar corretamente configurado) a instalação do Sharepoint Services será corrompida. Isso é um bug conhecido do Beta1 do TFS.

Por conta disso, mãos à obra! Desinstalar todo o TFS + WSS e começar denovo. Então, dessa vez, tudo correrá bem. 🙂

Um abraço!


VSTS: Mais qualidade aos times de desenvolvimento

setembro 10, 2009

Olá a todos,

Visitei o blog do Marcos Dell Antonio e lá encontrei um posto super interessante falando sobre como o VSTS pode aumentar a produtividade/qualidade de uma equipe de desenvolvimento de software.

Gostaria de citar aqui um ponto crucial do post dele: Citação a Joel Spolsky, que criou 12 perguntas simples que, depois de respondidas, te trariam um feedback sobre seu time: ele é bom ou não é? Veja:

  • Você usa controle de versão? VSTS Source Control
  • Você pode gerar uma build em um único passo? Team Build
  • Você faz builds diárias? Team Build
  • Você tem um banco de dados com os bugs registrados? Work Items
  • Você corrige os bugs antes de escrever código novo? Check-in Policies, Work Items
  • Você tem uma agenda atualizada? Sharepoint, Work Items
  • Você tem uma especificação? Sharepoint
  • Os programadores possuem boas condições de trabalho? VSTS 🙂
  • Você usa as melhores ferramentas que o dinheiro pode comprar? VSTS (denovo)
  • Você tem testadores? VSTS Test Edition
  • Os novos candidatos escrevem código durante as entrevistas? Aí vai do processo de seleção 🙂
  • Você faz testes de usabilidade? Analistas de testes e Testers
  • Segundo Joel, se pensarmos que cada “sim” dado à cada questão você colecionasse um ponto, se o seu total for acima de 10, sua equipe tem qualidade, caso contrário ela precisa e deve ser melhorada.

    Concordei plenamente com o raciocínio e imagino que se um time conseguir trabalhar com cada um desses itens simultâneamente o trabalho realizado será de altíssima qualidade.

    Acima, em itálico, coloquei ao lado de cada pergunta o que julgo ser a resposta mais adequada para cada questão. Claro, no post do Marcos ele encaixa de forma plena o uso do VSTS em cada uma das perguntas, o que é totalmente possível e aconselhado mas, num mundo mais “hostíl”, talvez não seja possível encorporar o trabalho dele em alguns dos itens citados nas perguntas.

    E para finalizar, gostaria de deixar novamente meus parabéns ao posto do Marcos! Fantástica visão de utilização do VSTS! Abaixo, segue link do post dele. Vale muito a pena conferir na íntegra:

    http://www.marcosdellantonio.net/2009/04/06/visual-studio-team-system-mais-qualidade-aos-times-de-desenvolvimento-de-software/

    Um abraço!


    Novo membro do Enterprise Brothers

    setembro 10, 2009

    Olá a todos,

    Este post é simplesmente para dar boas vindas ao mais novo Enterprise Brother: Flávio Dantas.

    Atualmente Arquiteto de Soluções na Tech For TI, vai colaborar com posts voltados à área.

    Com mais de 5 anos de experiência em desenvolvimento de software, vai discorrer sobre assuntos como codificação, modelagem de entidades e banco, ORM, tendências, tecnologias, tendências, análise, entre outros.

    Seja bem-vindo, meu brother!

    Um abraço,


    Nossa! Onde faço o Unshelve?

    setembro 4, 2009

    Ultimamente tenho socorrido várias pessoas que vieram me fazer essa pergunta, ainda que para quem já está familiarizado com a ferramenta isso não seja um problema.

    “Eu fiz o shelve lá conforme você recomendou só que agora não sei como recuperar as modificações do servidor! E agora, já era? As perdi? Como faz?”

    Muita calma nessa hora. A solução é bem simples, porém, o problema é compreensível. O botão “Unshelve” está em localizações pouco intuitivas na IDE do Visual Studio 2008. Vamos à elas:

    1 – Em “Pending Changes”: De um certo modo, concordo que um changeset é composto de modificações pendentes de check-in, mas não são todos que pensam da mesma forma. Para grande maioria, “Pending Changes” são check-outs locais pendentes de commit para versionamento. Concordo, afinal Shelveset é um conjunto de modificações armazenadas no Servidor, mas ainda não versionadas.

    Mas voltando ao que interessa, o “Unshelve” está aqui: View -> Other Windows -> Pending Changes.

    Localização do botão Unshelve na tela Pending Changes

    2 – Ao clicar com o botão direito em qualquer item no solution explorer. Sim, ali mesmo. Mas desde que você tenha algum projeto aberto. Não vale aquela “Solution1” 🙂

    Localização do botão "Unshelve Pending Changes" ao clicar com o botão direito em qualquer item do Solution Explorer.

    Localização do botão "Unshelve Pending Changes" ao clicar com o botão direito em qualquer item do Solution Explorer.

    Ah, aproveitando! Galera, vamos dar mais atenção à essa feature do VSTS. Esse tal de Shelve pode ser muito últil para você!

    Um abraço,